quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Acabei de crer!


É difícil mesmo me iludir, porque não costumo esperar muito de ninguém. 

Odeio dois beijinhos, aperto de mão, tumulto, calor, gente burra e quem não sabe mentir direito rsrs. 

Não puxo saco de ninguém, detesto que puxem meu saco também. 

Não faço amizades por conveniência, não sei rir se não estou achando graça e não atendo o telefone se não estou com vontade de conversar fiado.

Na realidade, sou uma bagunça. Difícil de lidar. 

Me afasto do nada, mudo de uma hora pra outra e você fica se perguntando o que aconteceu. Depois disso, ainda volto como se nada tivesse acontecido. 

Faço você se desculpar, quando fui eu que errei. 

Não sei quais são os limites quando se trata do que eu quero e eu sou egoísta quando o assunto é quem eu amo. 

Ah!... pequenas coisas me machucam. 

Adoro receber elogios, mas fico sem graça e desvio do assunto quando recebo algum. 

Pois é! Faço tudo ao contrário e parece que faço pra te irritar, principalmente, quando você tenta mandar em mim. Ai complica. 

Sempre acho que não sou boa o suficiente. 

Pareço idiota por natureza, e faço questão de demonstrar isso junto da minha família e ao lado dos meus amigos. 

Resumindo: poucos, bem poucos mesmo, podem querer ficar perto de mim.

Mas, me assumo como sou e não sou de mudar para agradar. 

Portanto, só fica aqui, quem me ama de verdade. E quem deseja amores que não sejam verdadeiros, cheios de desejo, enlouquecedores, famintos de estar, querer e completar?


sexta-feira, 28 de outubro de 2016

À espera de alguém especial


Para que se questionar, buscar fundamentos onde não há? 
Espere! 
Tudo tem seu tempo certo. 
Então, no momento certo, alguém vai gostar de você exatamente do jeitinho que é. Com os teus defeitos e qualidades. 
E este alguém vai desejar estar contigo o tempo inteiro e, esteja certa de que, fará de tudo para garantir ser um dos motivos para o teu sorriso na maior parte do tempo. Alguém que vai cuidar de você e fazer qualquer coisa para te proteger. 
Alguém que vai sentir frio na barriga antes de te encontrar, que vai ficar com os nervos à flor da pele quando você demorar para responder a uma mensagem. 
Alguém que vai fazer questão de te levar e te buscar. 
Que vai convidar-te para um jantar no meio da semana ou um almoço de família no domingo. 
Alguém que vai sentir orgulho de você e comemorar junto contigo as tuas vitórias. 
Alguém que vai dar a vida por você, se necessário for. 
Não vai hesitar em fazer-te feliz, porque acima de qualquer crise, tu és tudo o que esse alguém vai querer.
Esse alguém vai descobrir os teus pontos fracos e conquistar-te por você simplesmente existir. 
Será um alguém que vai chegar como quem não quer nada e, num instante, tornar-se tudo. 
Alguém que, sem esforços, vai roubar o teu coração e dominar os teus sentidos. 
Vai fazer-te acreditar, mesmo quando perderes as esperanças. 
Alguém que vai aparecer para te fazer acreditar no amor e te mostrar o que é sentir-se amado, desejado, querido.
Alguém que te vai fazer apaixonar cada dia mais e te provar que é possível manter a chama da paixão acesa.
Alguém que te vai proporcionar o beijo mais viciante. 
Alguém que vai querer arrancar toda a tua roupa numa fração de segundos e deixar-te com a cabeça confusa, mas por outro lado, vai dar-te todas as certezas que tu tanto procuras na vida.
E então, seguimos à espera do momento certo, quando este alguém especial surgirá.

terça-feira, 11 de outubro de 2016

AME, mas em liberdade!


Hoje quero lhe dizer o que sei sobre os relacionamentos de verdade, aqueles que dão sentido à vida. Simplesmente, são relacionamentos que desconhecem condições. Não existem limites, porque as relações baseadas no amor real - um amor que é verdadeiro -, são relacionamentos total e completamente livres.


A liberdade é a essência de quem somos. A liberdade é a essência do amor e as palavras amor e liberdade são ‘intercambiáveis’. Assim como a palavra alegria. Todas significam a mesma coisa e, acredite, a alma humana não pode ser alegre se for restringida ou limitada de algum modo.

Quando amamos, não procuramos limitar ou restringir de qualquer modo aquele que amamos. Quando amamos, desejamos para o outro o mesmo que queremos para nós, o que nos faça feliz, que nos faça sentir realizados. Afinal, tudo o que procuramos é alguém que nos permita (isso mesmo, NOS PERMITA) ter o que queremos da vida.

E é verdade que o mundo todo conspira para não nos deixar ter o que desejamos, a começar pelos nossos pais, desde muito cedo, com aquela frase: “Não, você não pode ter isso”. Depois vêm os professores na escola: “não masque chiclete na sala; não ria desse jeito, não pense daquela maneira, etc”. E restrições cada vez maiores vão surgindo.

E essas proibições persistem por muitos anos, com o mundo armando um jeito de nos dizer que não podemos ter o que realmente queremos, mesmo quando sabemos que somos capazes e que “tudo que pedirmos, crendo, receberemos”.

Então, quando investir num relacionamento, tenha certeza de que está sendo autêntico e nunca negue, nem por um momento, seu verdadeiro eu. E se o seu verdadeiro eu não for suficiente ou atraente o bastante para manter quem você ama em sua vida, então, deixe que se vá.

O relacionamento é uma experiência importante que devemos “investir” como uma maneira de descobrir quem realmente somos. E certamente, só conseguiremos isso sem restrições, sem limitações que ocultam o nosso verdadeiro eu e nos impedem de ser feliz.

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

HOMEM COVARDE – mantenha distância!

Pode não ser uma regra, mas quase sempre que você sai de um relacionamento de onde vem do “fundo do poço”, surge outro “homem vala” disfarçado de “salvador da Pátria” para deixar claro que homem de verdade, sério e que pensa, é mais que um simples mortal entre milhões: é uma espécie em franca extinção.
A gente nunca sabe o porquê do “homem vala” ter aparecido e também, só é possível descobrir que foi mais uma vítima deste cruel covarde, quando ele parte os pedaços que ainda estão inteiros do seu coração. Ai, minha amiga, já era!
Tudo o que falam é a mais pura verdade do que sentem e fazem, mas quando repetimos exatamente tudo igual para eles, são capazes de dizer que nós, mulheres, temos o poder de inverter as coisas, dar duplo sentido as palavras, interpretar mal as coisas e por ai vai. Papo de “canalha escolado”, prestes a fazer uma nova e indefesa presa.
Pensei até em sugerir que uma editora fizesse um manual para as mulheres desavisadas. O objetivo seria prevenir o universo feminino de estar a mercê da ação deste tipo de homem - o que não quer compromisso com nada -, embora assuma que esteja “testando” a mulher. Isso mesmo, como fazemos ao entrar numa concessionária para experimentar um carro no test drive. Se servir, é com ele que fico. Se não atender minhas necessidades, tudo bem... Tem uma outra revendedora bem ali em frente, com modelos mais confortáveis, econômicos e uma maior variedade de, digamos, “opcionais”.
Homens assim são denominados como covardes, aqueles que têm um medo imensurável do chamado “compromisso”. Aliás, esta palavrinha assusta demais os machos. Soa como uma obrigação, um envolvimento além do que eles podem estar, porque na visão dos homens, junto com o compromisso vem um pacote promocional que inclui cobranças, fidelidade, respeito, carinho e, talvez, um amor desinteressado, do qual não estão acostumados.
Enquanto imperar o medo de se entregar de corpo e alma ao outro, sempre vai existir a privação de conhecer o amor e de saber como é desejar o bem de outrem da mais pura e verdadeira forma de gostar. Esse sentimento de dedicação absoluta de um ser a outro é o que mais assusta o homem, mesmo que o amor seja apenas possível pela afeição, a amizade e a simpatia entre dois seres humanos.
As pessoas não namoram, noivam e casam num piscar de olhos. Isso é claro até mesmo para as crianças. No entanto, quando aceitamos a idéia de nos deixar envolver pelo outro, estamos apenas nos dando uma chance para saber se esse ato vai prosperar ou morrer na areia, como muitos outros. É um acontecimento natural.
O que uma mulher nunca espera é estar sendo testada, usada, enganada. E para o homem que age de uma maneira tão traiçoeira como esta, sendo desleal e medroso, demonstra apenas tratar-se de uma pessoa fraca, fiel apenas aos seus desejos e interesses e, que pouco se importa com o estrago que deixou para trás.
Pior que conhecer e ser vítima de um homem covarde e medroso, vamos confessar, é ter que ouvir frases do tipo: “Não era isso que eu queria”; “Não quero compromisso agora” e “Você estava muito apegada a mim, então me afastei, porque se a gente continuar se vendo vai ser pior”.
Ah, já ia me esquecendo. E quando o canalha covarde finaliza em tom de “sinto muito”? As frases são tocantes, pode acreditar, chega a comover: “Pelo menos estou sendo sincero com você e abrindo o jogo antes que se envolva ainda mais”.
A essa pobre e insignificante criatura, podemos deixar apenas a mensagem de que enquanto não se permitir ser amado, será tão pequeno quanto seus sentimentos, tão mesquinho quanto seus atos e tão infeliz, quanto as pessoas que passaram por sua vida e que poderiam lhe terem feito tão bem, pelo simples fato de desejarem te amar de verdade.

Carla Flávia Rangel Barreto
30 de outubro de 2006.

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Vaidade é um complemento



     Assim como o dia, o orçamento da mulher moderna não é mais restrito ao trabalho, a família e aos filhos. Mestre em organizar as finanças e equilibrar o orçamento, a mulher tem feito manobras cada vez maiores para investir em si mesma. Como ainda não existe mágica para transformar “gatas borralheiras” em “cinderelas”, mulheres de todas as idades sabem que é preciso jogo de cintura para manter a vaidade, a saúde e o bolso em sintonia.

     Isso porque, os apelos são muitos: do esmalte, que promete unhas mais longas e resistentes, ao plano de cirurgia plástica, que hoje já pode ser concretizado com um financiamento. De olho num público que cresceu e ganhou mercado de trabalho e capital, a indústria da beleza amplia espaço e prolifera serviços de estética, academias de ginástica, cabeleireiros, maquiadores, perfumarias, além de serviços personalizados que auxiliam no vestir e no malhar. Na área da saúde, também cresce a demanda por nutricionistas, endocrinologistas e cirurgiões plásticos. Esperta e consciente, a nova cliente não vai em busca apenas da clínica de fachada bonita. Questiona referências, resultados e, especialmente, a formação de quem a atende.

     No entanto, para encontrar um equilíbrio, não basta cuidar apenas do corpo. A vaidade feminina é fundamental, pois está relacionada à auto-estima. E não há nada mais importante que gostar de si mesmo. Nesse sentido, as indústrias de cosméticos, cirurgias plásticas e academias de ginásticas são grandes aliados da mulher e cuidar-se interfere de forma muito positiva na parte emocional.

     Quem se sente bonita e segura torna-se naturalmente bonita porque sabe mostrar o que tem de melhor. Todos conhecem alguém que não está dentro do padrão de beleza e chama a atenção. É importante valorizar seus pontos fortes, ao invés de ficar eternamente insatisfeita com algum defeito que não pode mudar.

     Se a mulher acredita e confia em suas qualidades e na sua beleza interior, a vaidade será um complemento que agregará ainda mais valor a estima que tem por si. Ou seja, a maior vaidade deve estar no cuidado diário dos sentimentos.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Ame, mesmo sem garantias!

Amar. Talvez esse seja o sentimento mais difícil de definir. 

Não cabe em fórmulas prontas. 


Porém, neste tempo de tantos desencontros, viver um amor é desafio que depende menos de estratégia de conquistas e mais da revisão de nossas possibilidades e do tamanho de nossas expectativas. No entanto, embora estejamos sempre tão ocupados com nosso pequeno mundo, existem algumas maneiras de abrir caminho para o amor, que vale a pena sempre, seja como for.

Aliás, falar de amor é quase um vício. Preste atenção como boa parte de suas conversas, dos livros que lê, das músicas que ouve tem a ver com isso. Os filmes, então, nem se fala. Nem o mais violento deixa de ter uma boa trama amorosa. Parece que a condição indispensável para sossegar o coração é encontrar alguém e compartilhar a vida. E isso parece cada vez mais difícil: o desencontro e a solidão têm sido uma marca desta época, em que as diferenças entre homens e mulheres ficam cada vez mais explícitas.

Encontrar um grande amor pode ser, então, questão de pura sorte; uma manobra do acaso, mas na maior parte das vezes depende das escolhas que fazemos e de como alimentamos nossas expectativas. O amor é, de certa forma, revolucionário e exige que estejamos abertos para o novo, o inesperado. E quando procuramos alguém que se encaixe em nossos parâmetros, não queremos um amor, mas apenas uma parceria para dissimular um vazio interno. A verdade é que muita gente se diz pronta a viver uma experiência verdadeiramente intensa de amor, mas poucos são os que se colocam disponíveis para isso.

Esse tipo de atitude não acontece por acaso, mas por insegurança, medo ou apenas para defender o coração um dia rejeitado ou traído. Nossa tendência é se retrair e guardar o amor a sete chaves, protegido por um muro de pedra. Em nossas fantasias românticas, podemos achar que basta estar flertando, seduzindo, nos mostrando disponíveis, mas na verdade estamos apenas na defensiva. Esquecemos que vale a pena mergulhar nesse sentimento, que dá substância à vida, sem ficar preso ao passado.


Muitas vezes nos mantemos afastados das pessoas, esperando que elas conquistem nosso amor. Esquecemos que é preciso dar amor e não apenas receber. E o amor é um sentimento de mão dupla, baseado na troca de afeto, carinho e compreensão. Se você faz parte do grande grupo de pessoas que está só, briga com a solidão e tenta desvendar as artimanhas que levam ao amor, a primeira coisa a fazer é passar a cultivar a aceitação, a compreensão e a amizade.

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Permita-se a felicidade!

Não adianta dar um passo na vida, pensando nas consequências do "se". E se der errado? E se eu não obtiver sucesso? E se me magoarem? Por trás do "se" existem tantos mistérios e turbulências que, ao pararmos para pensar melhor, certamente não daríamos um passo à frente. Permaneceríamos estagnados ou, simplesmente, andaríamos para trás, afinal, isso cabe a cada um de nós.

Podemos nos desafiar e saltar rumo a novos horizontes ou simplesmente ficar do jeito que estamos, acomodados com tudo e sem mais